quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

calmaria




Pássaros passam pela minha janela
cantando a estação.
A chuva parou.
O céu ainda não sabe se ri,
ou, se chora.
A tarde é calma,
lúcida.
As palavras dançam na sala.
Ora, escapam,
como a lucidez da tarde,
como a vida.


foto: Ugo Perissinotto


4 comentários:

Vital disse...

acho que é disso que mais gostamos,
que as coisas mansamente escapem e nós tornemos a procurá-las.

beijo!

Flor ♥ disse...

Delícia de tarde poética...

Um final de semana inspirado, querida!
Bjs

Mariângela disse...

é vital essa nossa procura...é uma delícia, também...
beijinhos a vocês.

Textos e mais textos...É a vida... disse...

Só uma sensível poetiza prá escrever tudo isso...
bjksssssss