domingo, 27 de junho de 2010

Anímico



Nasceu no meu jardim um pé de mato
que dá flor amarela.
Toda manhã vou lá pra escutar a zoeira
da insetaria na festa.
Tem zoada de todo jeito:
tem do grosso, do fino, de aprendiz e de mestre.
É pata, é asas, é boca, é bico,
é grão de poeira e pólen na fogueira do sol.
Parece que a arvorinha conversa.

Adélia Prado

foto: fiore de bissa - Ugo Perissinotto


Um comentário:

Flor ♥ disse...

Este poema de A. Prado é uma algazarra de tão lindo... ótima escolha!

Bjs.